SOBRE


ANA AVILA

Existe sexo sem amor?

Terça-Feira | 16 de Outubro

Por: Ana Luiza Garcia
Podemos começar respondendo essa pergunta com outra: Existe amor sem sexo? a resposta é sim, certo? Logo sexo também existe sem amor. Acho muito particular dizermos se é bom ou ruim que façamos sexo sem este sentimento. Depende de cada um , como tudo nessa vida.
Muita gente faz sexo por puro desejo físico, atração mesmo, coisa de pele, de conexão física. E nem sempre essas pessoas tem algum vínculo afetivo e muitas vezes nem desejam ter. É um mito bastante disseminado dizer que sexo e amor tem que estar conectados, esse mito traz culpa e sentimentos de inadequação para aqueles que querem apenas transar e aproveitar as sensações físicas sem se vincular emocionalmente. Principalmente no caso das mulheres... há ainda um longo caminho a ser trilhado no que diz respeito a expressão da sexualidade feminina. Tem sempre uma cobrança no sentido de que as mulheres não fazem sexo por fazer, que estão sempre a procura de uma relação afetiva ou um compromisso sério. Gente, isso é mito e mito não corresponde a realidade.
Homens e mulheres tem desejos e podem ter vontade de fazer sexo sem amor. Podem fazer sexo sem amor e simplesmente não ter sentimento algum de vazio. Podem, sim, separar afetividade de desejo físico e não há nada de errado nisso. Errado é nos colocarmos em situações que nos agridem só porque todo mundo faz ou porque queremos agradar alguém em detrimento de nós mesmos.
É super legal a gente ter noção do nosso limite emocional... ninguém tem que fazer sexo sem amor pra parecer descolado ou contemporâneo. Ninguém tem que deixar de fazer sexo sem amor por medo do que os outros pensam ou por nutrir uma culpa desnecessária.
Precisamos ser sinceros com nós mesmos e isso inclui perceber aquilo que damos conta ou não. Muitas pessoas não devem fazer sexo sem amor, porque se sentem vazias, deprimidas ou porque constatam cada vez mais que querem conexão emocional, vínculo, compromisso. Por outro lado, muitas outras adoram sexo casual, curtem sentir prazer com a outra pessoa, dar tchau, levar a vida sem ter que ligar, sem dar satisfação, e estão preparados para a próxima oportunidade sexual que faça valer a pena.
E nisso tudo, o que é bonito, o que é feio? Bonito é a gente ser autêntico e respeitar o nosso jeitão. Bonito é dar vazão aquilo que nos faz bem independente de ser moda ou tendência, sem pensar em fazer pose ou ser legal pros outros. Bonito é cuidar da saúde, fazer exames ginecológicos uma vez por ano e usar preservativo. Bonito é só fazer o tipo de sexo que não agride a gente e faz ficar feliz.
Feio é ser igual todo mundo porque você não confia em si mesmo (acho que isso nem é feio, é triste mesmo), feio é não respeitar o corpo e a alma, feio é ficar mal porque deixou de transar quando queria muito só por causa de mitos e preconceitos. Feio é transar quando quer mesmo é ter vínculo afetivo bem antes disso.
Ninguém pode nos liberar e nos permitir sermos quem somos, nenhuma pessoa do nosso convívio pode fazer isso por nós. Só nós mesmos podemos fazer isso e quando conseguimos, que baita alívio!!!!
Pra terminar, existe sim sexo com amor, amor sem sexo, amor platônico, sexo selvagem, amor tímido, sexo despojado, amor chiclete, sexo delicado entre tantas e tantas outras formas de nos sentirmos vivos e nos relacionarmos.
E nessa vida o que vale e faz sentido é a gente ser honesto com quem mais nos acompanha na viagem, nós mesmos.


Share on Google+

2015 - GURIAS BACANNAS | Desenvolvido por Zifi - Estúdio Digital